5 sinais do bebê para a introdução alimentar

Muitas famílias com seu primeiro bebê sentem-se inseguras quanto ao melhor momento e de que forma iniciar a introdução alimentar. Até os 6 meses, entidades como a Organização Mundial da Saúde, a Sociedade Brasileira de Pediatria e o Ministério da Saúde recomendam aleitamento materno exclusivo ou fórmula com potencial nutritivo semelhante.

Na faixa dos 6 meses a 1 ano, aproximadamente, o leite é realmente uma base fundamental da alimentação do bebê e fornece mais de 60% dos nutrientes necessários a sua saúde. Depois disso, as dúvidas começam e muitos não sabem como lidar com o processo de aproximação e apresentação dos novos alimentos. 

Se você se sente nessa situação, de não saber bem como conduzir a introdução de novos alimentos à dieta do bebê, seguem alguns sinais que o corpo do bebê apresenta, que podem ajudar no processo.


Sinais de prontidão para a introdução alimentar

Há diferentes abordagens que podem orientar a condução do processo da introdução alimentar, como a Tradicional, a Participativa e a BLW.  Alguns pontos são comuns entre elas, em geral concordam que o período de atenção é próximo aos 6 meses, pois é quando:

– O sistema digestório do bebê amadurece e passa a produzir enzimas para lidar com o alimento;

– O reflexo de protrusão de língua (colocar a língua para fora quando o lábio é estimulado) começa a diminuir e o movimento de mastigação começa a aparecer;

– O desenvolvimento neuro motor do bebê lhe permite ter centralidade entre o tronco e a cabeça, mantendo o bebê numa postura adequada para se alimentar e para ativar o gag reflex, que é um mecanismo natural de defesa do bebê contra possíveis situações de engasgo;

– O bebê consegue se manter sentado sem apoio ou com o mínimo de apoio quando colocado nessa posição (além da centralidade entre tronco e cabeça, tem mobilidade para avançar com o tronco para frente, para pegar algo, ou para trás, para se afastar de algo);

– Passa a demonstrar interesse pelo alimento do adulto, com o intuito de imitar e compartilhar a refeição;

Os sinais de prontidão podem variar de um bebê para o outro. Cabe aos adultos exercerem uma escuta atenta que respeite o tempo de cada criança. 

Novo exame pode ajudar

Como essa fase na vida do bebê é delicada e a antecipação da introdução alimentar pode causar malefícios metabólicos e imunológicos importantes, além da consideração desses sinais, algumas pesquisas têm avançado no sentido de auxiliar o processo. 

Um exame de sangue capaz de detectar a presença de células de defesa no organismo, pode indicar se o seu bebê já está na fase apropriada à introdução de novos alimentos.

Confira nos links abaixo mais informações sobre o tema e não deixe de estar atento a essa fase tão importante na vida do seu bebê.

https://revistacrescer.globo.com/Bebes/Amamentacao/noticia/2018/09/novo-exame-deve-mostrar-se-bebe-esta-pronto-para-introducao-alimentar.html

https://www.98fmcuritiba.com.br/novo-exame-deve-mostrar-se-bebe-esta-pronto-para-introducao-alimentar/

 

Equipe Quintal 7 Cores

Outubro/2018



WhatsApp chat